Uma Oferta Especial

O sacrifício com fins religiosos era prática comum no Antigo Testamento para oferta, com motivações diversas, á divindade da qual a pessoa servia.  1

Anualmente, Elcana  adorava e a sacrificava ao Senhor dos Exércitos no templo em Siló por toda sua família. E, em uma destas visitas, sua esposa estéril, Ana, amargurada, chorou, orou perseverante e fez um voto ao Senhor: 2

 “Senhor dos Exércitos! Se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva não te esqueceres, mas à tua serva deres um filho homem, ao Senhor o darei todos os dias da sua vida …” ( 1Sm 1.11)

Eli, o sacerdote,  repreendeu Ana crendo que ela estava embriagada.

Porém Ana respondeu: Não, senhor meu, eu sou uma mulher atribulada de espírito; nem vinho nem bebida forte tenho bebido; porém tenho derramado a minha alma perante o SENHOR.” (1Sm 1.15)

Eli se equivocou ao julgar o comportamento de Ana, talvez por já possuir diminuição da visão ou pela falta de familiaridade com a postura de fervente oração, apesar de ser um consagrado líder religioso.  3

“E sucedeu que, passado algum tempo, Ana concebeu, e deu à luz um filho, ao qual chamou Samuel; porque, dizia ela, o tenho pedido ao Senhor.” (1Sm 1.20)

Então, Ana louvou e glorificou em grande alegria o nome de Deus. E, no tempo determinado, retornou á Casa do Senhor e disse ao sacerdote Eli:  4

“Por este menino orava eu; e o Senhor atendeu à minha petição, que eu lhe tinha feito.
Por isso também ao Senhor eu o entreguei, por todos os dias que viver, pois ao Senhor foi pedido. E adorou ali ao Senhor.” (1 Sm 1.27-28)


Adorar á Deus é, em gratidão, o ato de honrar e glorifica-lO reconhecendo, em reverência, sua pessoa e feitos, de forma particular ou pública. A verdadeira adoração somada a busca pela santificação atraem a presença do Senhor e precedem a restauração de sua aliança com o povo.  

Segundo a Lei de Moisés, o cumprimento de um voto á Deus deve ser acompanhado de três elementos (flor de farinha, vinho e azeite), dos quais Ana entregou ao cumprir  o seu. Porém, em quantidades bem superiores, podendo expressar sua imensa gratidão por o executar. 6

“Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria.” (2 Co 9.7)


A Nova Aliança entre Deus e o homem foi mediada por Cristo Jesus, como sacrifício perfeito pelos nossos pecados, aboliu a lei de Moisés. Esta lei serviu para a sociedade como diretriz e guardiã de princípios morais, ordem e  figura dos acontecimentos futuros  até a vinda de Jesus. 7

Quando aceitamos Jesus (Deus que se fez homem) como Salvador da nossa vida seguindo seus ensinamentos, co-participamos de seu corpo (igreja) e somos eleitos filhos de Deus. 8

A maior oferta que podemos doar ao Senhor é consagrarmos nossas vidas á Ele. 9

A nossa consagração ao Senhor deve ser em retidão, obediência, sinceridade, gratidão, louvor e amor, segundo o ensinado nas Escrituras, anunciando as virtudes de Deus. Desta forma, transformaremo-nos em sacrifícios vivos e agradáveis ao Senhor.  10

Ana consagrou seu filho Samuel á Deus, entregando-o voluntariamente como uma oferta especial á Ele. E, em jubilosa canção de ação de graças, adorou a Deus. Samuel foi um exemplo de servo fiel ao Senhor. 11

Em contrapartida, muitos anos depois, Deus falou ao profeta Ezequiel, sobre o povo da cidade de Jerusalém:

“E o meu pão que te dei, a flor de farinha, e o azeite e o mel com que eu te sustentava, também puseste diante delas em cheiro suave…
Além disto, tomaste a teus filhos e tuas filhas, que me tinhas gerado, e os sacrificaste a elas, para serem consumidos; acaso é pequena a tua prostituição?
E mataste a meus filhos, e os entregaste a elas para os fazerem passar pelo fogo.” (Ez 16.19-21)

Deus é o Criador de tudo e nada que fazemos recompensará o que Ele já fez por nós. Porém, devido ao seu infinito amor e misericórdia, anseia por um relacionamento íntimo conosco. 12

No entanto, o povo de Jerusalém ofertou os elementos que Deus proveu para subsistência do mesmo, ordenanças santas e seus filhos (que á Ele pertencem) em sacrifícios  á outros deuses, atraindo o juízo divino á este povo.  13

“Ou cuidais vós que em vão diz a Escritura: O Espírito que em nós habita tem ciúmes?” (Tg 4.5)

A Palavra de Deus diz que é impossível permanecer neutro á respeito de Jesus. Inclusive, não há como servir á dois senhores. Logo, eis a pergunta: 14

Á quem temos ofertado nossa vida?


“Os teus votos estão sobre mim, ó Deus; eu te renderei ações de graças;” (Sl 56.12)


A paz do Senhor!

 

Referências:

  1. Gn 16.1; Ex 20.24; Jz 16.23; 2 Cr 28.23
  2. 1Sm 1.3-5; 1.10; 1.12
  3. 1Sm 3.2; 4.15
  4. 1Sm 1.24-26; 1Sm 2.1-10;
  5. 2Cr 29.10-36; Ne 8.6; Rm 12.1
  6. Nm 15.8-10; 1 Sm 1.11; 20-24
  7. 2 Co 3.7; 3.13-18;  Gl 3; Hb 10.12; 12.24; Ef 2.15-18; 1 Tm 2.5; Cl 2.16-17
  8.  Jo 1.1; 1.14; Rm 8.3; 1 Co 12.27; Ef 3.6; 5.23; Cl 1.15; 3.12; 1 Pe 2.9
  9. 1Sm 15.22; Sl 40.6-10; Mt 15.3-9
  10. 1Sm 15.22; Mt 12.7; Mc 12.33; Rm 6.12-13; 6.19; 12.1; Hb 13.15-16
  11. 1Sm 2.1-10; Nm 15.8-10; Sl 99.6; Jr 15.1
  12. Lm 3.22; Jz 16.36-43; Mt 23.37; Rm 5.8; 11.35-36; Tg 4.8-9
  13. Ex 20.23; 23.24; Dt 5.7; 27.15; Ez 16. 19-21; 16.27
  14. Mt 6.24; 12.30; 1 Co 10.21

 

 

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

Um comentário sobre “Uma Oferta Especial”

  1. Umas das Oferta a Deus é a sabedoria de praticar a vontade de Deus. “O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria; revelam prudência todos os que o praticam. O seu louvor permanece para sempre.” (Sl 111. 10)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *