Transformação Interior

No momento no qual uma multidão iria prender Jesus 1 , Pedro “estendendo a mão, puxou da espada e, ferindo o servo do sumo sacerdote, cortou-lhe uma orelha.” ( Mt 26.51)

Este ato impensado levaria Pedro á prisão e exemplifica o quanto nos tornamos vulneráveis ao tomarmos atitudes sem o direcionamento divino.

Porém, Jesus curou o ferimento do servo, eliminando a prova contra Pedro e lhe disse:

“… pensas tu que eu não poderia agora orar a meu Pai, e que ele não me daria mais de doze legiões de anjos?” ( Mt 26.53)

Jesus possuía o domínio de tudo e desejava cumprir, em detalhes, o que as Escrituras diziam a seu respeito. 2

A força militar é imprópria para defender o Evangelho. Pois, as armas naturais não podem vencer o pecado e conquistar almas para Jesus. As batalhas espirituais devem ser enfrentadas com armas espirituais.  

 “Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas;

Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;” (2 Co 10.3-5)

Pedro era impulsivo, vigoroso e, por melhor intencionada tenha sido a tentativa de “defender” o Senhor, a mesma não foi aprovada. Pois, o reino e poder de Deus não se confundem com violência. 4

Uma vida submissa ao poder do Espírito Santo produz  comportamento justo, características e atitudes benevolentes e espirituais, identificando aqueles que pertencem á Deus mediante a fé em Cristo.

Tais atitudes e características são denominadas de frutos do Espírito, que são: “amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” (Gl 5.22)

É necessário entregar todo pensamento á Cristo, para que o governo de nossa vida seja transferido ao Espírito. Desta forma, teremos domínio próprio para refrear o desejo e qualquer comportamento que desagrade á Deus. 5

Enquanto Pedro duvidou das palavras de Jesus, julgou ser mais corajoso e fiel do que era, ao afirmar que O defenderia com a própria vida quando O mesmo fosse preso. No entanto, abandonou Jesus.6

Deus não é capaz de se decepcionar porque Ele é onisciente. A sua bondade e misericórdia estão disponíveis para todos os que O temem, confessam e se arrependem das próprios erros. 7

Pedro se arrependeu por ter pecado contra Jesus e escolheu viver segundo o direcionamento dEle, se tornando um instrumento para o reino de Deus. Então, ganhou milhares de almas para o Senhor, operou milagres e deixou um legado de fé e devoção para gerações. 8

Quanto maior a submissão aos ensinamentos do Senhor, maior a comunhão com Ele. Consequentemente, haverá crescimento moral e espiritual, tornando o caráter mais semelhante ao do Senhor. Este processo é progressivo, mediado pelo Espírito de Deus e chamado de santificação. 9


Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12.14)


Jesus enviou o Espírito Santo também para nos auxiliar nas nossas fraquezas. Logo, peçamos auxílio ao Espírito e estejamos atento á sua voz! 10


“Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto.” (Sl 51.10)


A paz do Senhor!

Referências:

  1. Lc 14.43
  2. Mt 26.54-56; Is 53; Zc 13.7
  3. Zc 4.6; Ef 6.11-18
  4. Lc 17.20; Ap 3.20
  5. Rm 12.1-2; 1 Co 9.25; Gl 5.23-24
  6. Mt 26.75
  7. Pv 28.13; Lm 3.22; Jz 29.11
  8. Jo 21.14-17; At 2.40-41; 3.6-8
  9. 2 Co 2.6; 3.18
  10. Jo 14.16-17; Rm 8.26-27; Hb 3.7
FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *