Restaurando a Aliança com Deus

Isaías foi profeta do reino dividido de Judá e Israel. No livro do Antigo Testamento que leva seu nome, exortou o povo, de forma direta e franca, ao arrependimento e á vida de retidão. Antes disto, este profeta conclamou os céus e a terra (testemunhas da aliança com Deus), para confirmarem a veracidade das acusações do Senhor contra Seu povo e a retidão de Seu juízo. ¹

É descrito de forma figurada a ingratidão, ignorância espiritual e o agir por instinto deste povo que desprezou a correção de Deus, rebelando-se cada vez mais contra Ele, ignorando-O como Senhor de suas vidas. ²

O Senhor disse através de Isaías:

“Ai, nação pecadora, povo carregado de iniqüidade, descendência de malfeitores, filhos corruptores; deixaram ao Senhor, blasfemaram o Santo de Israel, voltaram para trás.

Toda a cabeça está enferma e todo o coração fraco.

Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, e inchaços, e chagas podres não espremidas, nem ligadas, nem amolecidas com óleo.” (Is 1.4-6)

 O óleo era uma agente medicinal para cura, é um símbolo do Espírito Santo e da unção. Na bíblia, enfermidades e feridas são moléstias que podem afetar ao homem em termos espirituais e/ou físicos. Portanto, Deus relatou que aquela sociedade estava enferma espiritualmente, marcada e enraizada pelo pecado e corrupção. E, para ser curada, necessitava obter unção espiritual. ³

Devido á prática contínua de iniqüidades, o Senhor permitiu que estas pessoas sofressem invasão estrangeira em suas terras 4. Inclusive, Isaías disse:

“Se o Senhor dos Exércitos não nos tivesse deixado algum remanescente, já como Sodoma seríamos, e semelhantes a Gomorra.” ( Is 1.9)

As transgressões cometidas pelo povo foram tamanha, que a tribulação que viveram foi comparada ás sofridas pelos habitantes de Sodoma e Gomorra, que são exemplos clássicos de cidades totalmente destruídas por Deus devido á iniquidade de seus habitantes. Remanescentes são as pessoas poupadas, por misericórdia, no juízo divino contra a nação. 5

Nos versículos abaixo, Deus esclarece que é de maior valia a sinceridade da adoração oferecia á Ele do que o número de atos religiosos:

“De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios, diz o Senhor? Já estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; nem me agrado de sangue de bezerros, nem de cordeiros, nem de bodes.

Quando vindes para comparecer perante mim, quem requereu isto de vossas mãos, que viésseis a pisar os meus átrios?

Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e as luas novas, e os sábados, e a convocação das assembléias; não posso suportar iniqüidade, nem mesmo a reunião solene.” (Is 1.11-13)

Deus rejeitou as ofertas, orações, as festividades, mesmos as consagradas á Ele pelo povo. E, em profunda tristeza, advertiu-o em relação ao pecado e fez exigências: 6

“Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer mal.

Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas.” (Is 1.16-17)


 Em seguida, o Senhor faz um convite pessoal á purificação espiritual:

“Vinde então, e argüi-me, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.” (Is 1.18)

A cor vermelha é referente ao sangue que sujou a mãos dos assassinos. Enquanto a cor branca, faz alusão ao impacto restaurador do perdão Divino que tem como condição o arrependimento sincero do pecador, somada á reforma da própria vida segundo o direcionamento de Deus. 7


E continuou…

“Se quiserdes, e obedecerdes, comereis o bem desta terra.” (Is 1.19)

Portanto, obedecer ao Senhor é uma escolha pessoal e uma postura á ser tomada que conduz ao alcance da plenitude das bençãos divinas. Entretanto, os desobedientes á Ele receberão duro juízo. Pois, o pecado é destrutivo, viola a aliança com Deus, afastando a pessoa da presença do Senhor, ocasionando morte física e espiritual. 8

Deus ainda protestou contra a prostituição e deterioração espirituais, violência e quanto a rebeldia dos líderes que possuíam más associações, praticavam corrupção e injustiça aos mais necessitados. 9

Deus não foi, nem nunca será complacente com o pecado e injustiças cometidas contra Seu povo, pois Ele é imutável, santo e justo. As pessoas que desta forma pecaram deliberadamente, tornaram-se inimigos do Senhor e enfrentaram Seu juízo.10


 “Desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo iniqüidade, morrerá por ela; na iniqüidade, que cometeu, morrerá.

Mas, convertendo-se o ímpio da impiedade que cometeu, e procedendo com retidão e justiça, conservará este a sua alma em vida.

Pois que reconsidera, e se converte de todas as suas transgressões que cometeu; certamente viverá, não morrerá.” (Ez 18.26-28)


Deus não deseja que nos percamos, nem tampouco sente prazer na punição.  Entretanto, Ele é tão justo que permitirá que colhamos o fruto segundo a natureza da semente que plantarmos. 11

“Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” (Gl 6.7)


A  santificação nos aproxima de Deus e não o formalismos religioso em si.  Deus deseja o nosso coração para que a aliança com Ele seja refeita. Logo, com prazer oferecerá, pela graça, Seu Reino através de Jesus.. ¹²

“Esta é a aliança que farei com eles Depois daqueles dias, diz o Senhor:Porei as minhas leis em seus corações,E as escreverei em seus entendimentos; acrescenta:

E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniqüidades. Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado. Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus,

Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, E tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus,

Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da á consciência, e o corpo lavado com água limpa,

Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu.” (Hb 10.16-23)

 Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos.” (1Jo 4.9)

A paz do Senhor !

 

Referências:

  1. Dt 4.26; 30.19; 31.28
  2. Is 1.2-3; Pv 6.6-7; Jr 8.7
  3. Sl 38.3-5; Jr 8.19-22; 30.12-14; Mt 25.3-4; 8; Mc 6.13; Lc 10.34
  4. 2 Cr 28.5-18; Is 1.7-8
  5. Gn 13.10; 13.13; 19.24-28; Lm 4.6; Rm 9.29
  6. Is 1.14-17; Nm 10.10; 1Sm 20.5; 2Cr 8.13; Sl 81.3
  7. Is 1.15; Sl 51.7
  8. Dt 30.9; Is 19.20; 59.2; 64.72Sm 11.27; Sl 5.4; 34.21; Pv 11.19; 1 Cr 10.13; Js 7.11-12
  9. Is 1.21-23; Sl 7.11; 99.5; 99.9; Lv 21.8
  10. Sl 59.19; Is 1.24-31; 65.8-18; 66.24; Hb 13.11; Tg 1.17
  11. Ez 18.26-32
  12. Is 29.13; Mt 23.23; Gl 4.11; Cl 2.20; 2 Tm 3.5; Jo 14.6; Ef 2.5; 2.8; Hb 2.9

 

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

2 comentários sobre “Restaurando a Aliança com Deus”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *