Quem é Você?

Jesus disse á seus discípulos:

“Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho se dispersarão.” (Mt 26.31)

Mas Pedro, respondendo, disse-lhe: Ainda que todos se escandalizem em ti, eu nunca me escandalizarei.
Disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que, nesta mesma noite, antes que o galo cante, três vezes me negarás.” (Mt 26.32-34)

Auto confiante, Pedro (Simão Pedro ou Simão) respondeu:

“Ainda que me seja mister morrer contigo, não te negarei. E todos os discípulos disseram o mesmo.” (Mt 26.35)

Posteriormente, Jesus foi com seus discípulos ao Getsêmani e chamou Pedro, Thiago e João para orar com Ele. Porém, estes dormiam durante a oração, perdendo a oportunidade de demonstrar empatia com o Mestre e se fortalecer espiritualmente. 1

Pouco tempo depois, a guarda romana chegou e prendeu Jesus. Á princípio, Pedro demonstrou disposição de lutar sozinho contra ela, sacando uma espada e ferindo um servo do sumo sacerdote. No entanto, em curto espaço de tempo, fugiu e negou ser seguidor de Cristo diante de pessoas que o reconheceram como tal. 2

Na sua terceira negação…

“… estando ele ainda a falar, cantou o galo.  E, virando-se o Senhor, olhou para Pedro, e Pedro lembrou-se da palavra do Senhor, como lhe havia dito: Antes que o galo cante hoje, me negarás três vezes. E, saindo Pedro para fora, chorou amargamente.” (Lc 22.60-62)


Após a ressurreição de Jesus, o mesmo apareceu á alguns de seus discípulos e disse á Simão Pedro:

“.. Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros.

Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.

Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? ” (Jo 21.15-16)

O amor á Deus é provado quando somos obedientes á Ele. Portanto, para remissão pública de Pedro, Jesus o fez confessar seu amor em palavras, pelo mesmo número de vezes que este O negou, e atendendo ao Seu pedido de evangelizar o povo. 3

Aparentando ser despertado quanto á onisciência divina,  “Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.” (Jo 21.15-17)

Durantes os instantes que precederam sua morte, Jesus (Deus encarnado) demonstrou sua plena humanidade ao sofrer as tribulações e encontrado apenas na comunhão com Deus Pai (mediante orações) o alívio para sua alma. 4

Durante este momento de extrema dor, Jesus falou:

“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca.” (Mt 26.41)

A carne batalha pelas próprias obras e em oposição aos frutos do Espírito. Estas obras são ações que desagradam á Deus, causando morte espiritual, que simboliza a perda de comunhão com Ele. Portanto, quanto mais nos sentirmos tentados á errarmos, mais devemos buscar a presença do Senhor, assim como Jesus o fez. 5

Jesus demonstrou que quando possuímos íntima comunhão com Deus Pai e vigilância constante, não somos surpreendidos com situações e atitudes das pessoas (traição de Judas, abandono e negação de Pedro, por exemplo).

A Palavra diz que Jesus foi tentado durante toda a vida. Porém, não pecou. Demonstrando que a tentação em si não é pecado. Mas sim, a atitude que tomamos mediante á ela. Jesus a venceu através de orações, jejum, conhecimento e prática do ensinado nas Escrituras Sagradas.  6

Mesmo íntimo de Jesus, a auto confiança ofuscou o discernimento de Pedro quanto ao próprio caráter e a pessoa de Jesus. Portanto, ignorou o relato sobre a própria fraqueza e o ensinado por Ele sobre como se comportar diante da tentação que estava por vir (negar e abandonar Jesus).

Pedro havia vivido extraordinárias experiências sobrenaturais com Jesus como: andar sobre as águas, presenciar a transfiguração, milagres e receber revelação do Espírito de Deus quanto á pessoa dEle. 7

Portanto, aqueles erros cometidos por Pedro demonstram que, independentemente das experiências que possuímos com Deus, continuamos sujeitos á Ele, e que a perfeição e o entendimento pleno sobre nossas vidas apenas Jesus os possuem.

Logo, devemos permitir a ação do seu Espírito em nós, ouvindo e O confessando nossas fraquezas para que Ele aperfeiçoe nosso caráter como o de Cristo e nos fortaleça no momento da tentação.


“Sabei que o Senhor é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto.” (Sl 100.3)


A paz do Senhor!

Referências:

  1. Mt 26.41
  2. Lc 22.54-69; Jo 18.10
  3. Mt 15.6; Lc 6.46; Jo 14.21; 14.24
  4. Lc 22.42-44; Jo 1.1; 1.14
  5. Rm 8.5-9; Gl 5.16-21
  6. Lc 4.1-13; 20.23; Hb 4.15
  7. Mt 14.28-29; 16.16; 17.1-8; Lc 5.1-8

 

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *