O Verdadeiro Caminho

“E Saulo, respirando ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote.
E pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, se encontrasse alguns deste Caminho, quer homens quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém.” (At 9.1-2)

A palavra Caminho identifica a causa cristã, da qual é formada pelos seguidores de Jesus Cristo. 1

“E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu.
E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?” (At 9.3-4)

Esta experiência foi tão impactante, que Saulo notou a superioridade de quem o aparecera. Logo, falou:

Quem és, Senhor? E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues…”(At 9.5)

Perseguir os discípulos de Jesus é o mesmo que O perseguir. E, devido a natureza motivadora da viagem de Saulo, a repetição de seu nome pelo Senhor indica além de intimidade, orientação e pessoalidade, repreensão. 2


Jesus continuou:

“… Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões.” (At 9.5)

Recalcitar significa lutar contra ou resitir á obedecer. Aguilhão era uma peça metálica da qual prendia o boi para puxar a carroça. Se o boi fosse bravo, debatia-se contra o aguilhão, ferindo-se.

O boi bravo representa Saulo resistindo fortemente á Deus (aguilhão), ao repreender seguidores de Cristo. A queda demonstrou a vulnerabilidade humana deste opressor diante da referida batalha.


Segundo a própria consciência e a justiça da época, Saulo foi irrepreensível por ser um fariseu zeloso da lei judaica, á ponto de consentir na morte de Estevão por motivos religiosos. 3

No entanto, após esta surpreendente revelação do Senhor, Saulo , em submissão, “… tremendo e atônito, disse: Senhor, que queres que eu faça?” (At 9.6)

Os fariseus possuíam conhecimento das Escrituras Sagradas, consciência da soberania de Deus e responsabilidade humana. Portanto, Saulo sabia que uma revelação pessoal divina precedia um pedido do Senhor para execução de algo especial, orientação ou forte advertência.  4

“E disse-lhe o Senhor: Levanta-te, e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer.” (At 9.6)

“E Saulo levantou-se da terra, e, abrindo os olhos, não via a ninguém. E, guiando-o pela mão, o conduziram a Damasco.
E esteve três dias sem ver, e não comeu nem bebeu.” (At 9.8-9)


A converção ao Senhor é mudança da maneira de viver e pensar, segundo o ensinado por Jesus, renunciando desejos e práticas que O desagradam. A conversão de Saulo foi imediata a revelação recebida. Em seguida, necessitou ser guiado pelos seus companheiros de viagem até o destino ordenado por Cristo.  5

Portanto, estes companheiros representam o Espírito Santo, pois O mesmo orienta o homem á seguir os caminhos do Senhor. O recebemos quando declaramos Jesus como Senhor das nossas vidas e cremos em seu Evangelho.  6

O Espírito Santo é o selo da pessoa de Deus habitando no interior de seus seguidores. Ele capacita, orienta, intercede em oração e nos completa com o amor divino. Ele é o único capaz de santificar o homem, moldando o caráter humano conforme o de Jesus, conduzindo-o a salvação. 7

No entanto, para que as obras do Espírito seja completa no homem, o mesmo deve viver em amor, obediência e sinceridade á Deus. E, por intermédio do Espírito, possuímos comunhão com os irmãos em Cristo, recebemos dons espirituais e capacitação para discernir o que concerne á Deus.  8


“E havia em Damasco um certo discípulo chamado Ananias; e disse-lhe o Senhor em visão: Ananias! E ele respondeu: Eis-me aqui, Senhor.
E disse-lhe o Senhor: Levanta-te, e vai à rua chamada Direita, e pergunta em casa de Judas por um homem de Tarso chamado Saulo; pois eis que ele está orando;
E numa visão ele viu que entrava um homem chamado Ananias, e punha sobre ele a mão, para que tornasse a ver.” (At 9.10-12)

Á princípio, Ananias resistiu ao pedido do Senhor devido á fama de Saulo. Porém, Deus respondeu: 9

“Vai, porque este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome diante dos gentios, e dos reis e dos filhos de Israel.” (At 9.15)

“E Ananias foi, e entrou na casa e, impondo-lhe as mãos, disse: Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, me enviou, para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo.
E logo lhe caíram dos olhos como que umas escamas, e recuperou a vista; e, levantando-se, foi batizado.” (At 9.17-18)

“… E esteve Saulo alguns dias com os discípulos que estavam em Damasco.
E logo nas sinagogas pregava a Cristo, que este é o Filho de Deus.” (At 9.19-20)

Houve incrédulos quanto a conversão de Saulo, assim como pode surgir com qualquer um, que assim como ele, decida obedecer ao Evangelho de Cristo. Surpreendentemente, assim como a própria conversão, esta incredulidade o motivou a se empenhar em anunciar a Palavra. 10

No momento da conversão, em demonstração de poder, Jesus atraiu  Saulo, que não o servia, com amor e misericórdia. Inclusive, demonsrou seu zelo sobre as suas igrejas, impedindo que este opressor as alcançassem.

Saulo se tornou o grande apóstolo Paulo. E, de perseguidor de discípulos de Jesus a orientador destes e perseguido por amor a Jesus.  11

No livro aos filipenses, apóstolo Paulo diz:

“Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei confundido; antes, com toda a confiança, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte.
Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho.
Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher.
Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor.” (Fp 1.20-23)


A história desta conversão também demonstra que o ser humano pode viver em desacordo com a vontade de Deus, estando convicto de que a viva em sua plenitude. É possível vivê-la somente quando permitirmos que o Espírito de Deus seja o condutor dos nossos caminhos.


“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (Jo 14.6)



 

A paz do Senhor!

 

(Versão Bíblica: Almeida Corrigida Revisada Fiel)

Referências:

  1. Jo 14.6; 2 Pe 2.2
  2. Gn 22.11-12; 46.2-3; Ex 3.4; 1 Sm 3.10; Sl 119.30; Mt 25.45; Lc 10.41; 22.31; At 11.26
  3. At 7.54-60; Gl 1.14; Fp 3.4-6
  4. Gn 22.11; 31.11-13; Ex 3.4-5; Is 65.1; At 5.33.39
  5. Mt 16.24
  6. Jo 14.23-26
  7. Lc 12.12; At 16.6; Rm 5.5; Ef 1.13; Hb 3.6; 10.15-16
  8. Jo 15.26; At 5.32; Hb 2.4; 3.7-12
  9. At 9.13
  10. At 8.3; 9.21-23
  11. At 9.23; 13.9; 1Co 1.1

 

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

Um comentário sobre “O Verdadeiro Caminho”

  1. Muitas das vezes não temos paciência para esperar.Queremos a benção para ontem. Em nosso tempo. Por isso devemos
    pedir a Deus que nos ensine o valor da paciência para que sejamos sábios no agir e no falar. E, nunca venhamos a agir guiados pela ira, mágoa e impaciência. Deus têm o tempo dele diferente do nosso.
    A paz do Senhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *