O Que Te Move?

Paulo e Silas encontraram uma jovem que “que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores.” (At 16.16)

Paulo, “perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu.” (At 16.18)

Logo, a jovem foi liberta deste espírito mau e, consequentemente, seus senhores a perderam como fonte de lucro. Portanto, eles conspiraram para a prisão de Paulo e Silas. 1

“E a multidão se levantou unida contra eles, e os magistrados, rasgando-lhes as vestes, mandaram açoitá-los com varas.” (At 16.22)

Paulo e Silas eram homens pacíficos, mas foram despidos, açoitados e lançados no cárcere por anunciar o reino de Deus, ao libertar uma jovem de opressão malígna. 2


Pessoas  que fazem a vontade de Deus, ainda que seja ajudar outras, podem ser injustiçadas não apenas pela sociedade, como também por instituições, á exemplo de Paulo e Silas.


“E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam.
E de repente sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos.
E, acordando o carcereiro, e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada, e quis matar-se, cuidando que os presos já tinham fugido.
Mas Paulo clamou com grande voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos.
E, pedindo luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas.
E, tirando-os para fora, disse:

Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?” (At 16. 25-30)

Paulo e Silas foram tratados injustamente. No entanto, ao invés de murmurarem, louvaram á Deus. Em seguida, foram libertos da prisão.

Deus é glorificado mediante nossos louvores á Ele e não pelos nossos lamentos.

Louvar ao Senhor é essencialmente possuir uma vida que O agrade.

Os louvores podem ser em forma de cânticos, que foi o caso anteriormente citado de Paulo e Silas.

No louvor, há gratidão, sinceridade, arrependimento e reconhecimento da pessoa e dos feitos de Deus. 3

O comportamento de Paulo e Silas mediante as dificuldades que enfrentavam testemunhou o reino de Deus de forma tão impactante, que o sobrenatural ocorrreu na prisão e o carcereiro imediatamente se converteu á fé destes homens.

O carcereiro entendeu que a fé daqueles homens enchia a vida deles de alegria.

Vivam de maneira que as pessoas desejem conhecer qual o motivo da esperança que te move.

“E qual é aquele que vos fará mal, se fordes seguidores do bem?
Mas também, se padecerdes por amor da justiça, sois bem-aventurados. E não temais com medo deles, nem vos turbeis;
Antes, santificai ao Senhor Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós,
Tendo uma boa consciência, para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, fiquem confundidos os que blasfemam do vosso bom porte em Cristo.
Porque melhor é que padeçais fazendo bem (se a vontade de Deus assim o quer), do que fazendo mal.
Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito” (1Pe 3.13-18)


A paz do Senhor!


Referências:

  1. At 16.18-22
  2. Mt 11.4-5; Lc 11.20
  3. Lv 22.29; Sl 107.22; Cl 3.16-17

 

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *