Lições de Amor

Quando o homem crê no Evangelho de Cristo, recebe o Espírito de Deus que o capacita a amar.  O amor é o único dom do Espírito Santo que é eterno, é um mandamento divino e uma escolha pessoal. 1

O amor que procede de Deus não espera recompensa, não julga  ou condena precipitadamente, mas produz palavras e atitudes com benefícios verdadeiramente reais e contínuos. E, Jesus ensinou: 2

“Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus” (Mt 5.44)

Como o amor não procede de nós, mas de Deus, quando tivermos dificuldade para perdoar, praticar o bem ou exercer misericórdia á alguém, busquemos esta capacidade em Deus.

Pois, mediante o Espírito Santo, todos que recebem Jesus como Senhor, segundo a vontade de Deus, recebem poder para superar todas as situações difíceis que possam vivenciar. 3

“Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?” (1 Jo 4.20)

Algumas das dificuldades de fazer o bem é confundir amor com afetividade e tentar praticá-lo mediante esforço próprio ignorando a Palavra de Deus.

Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor.” (1Jo 4.8)


Assim o apóstolo Paulo definiu o amor :

“O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” (1Co 13.4-7)

Apesar de Paulo haver descrito o amor como emoções e atitudes, não é reduzido á um simples sentimento, a ações mecanizadas, nem tampouco, confiar e proteger sem restrições. Pois, tanto o amor, quanto demais responsabilidades cristãs devem ser praticadas com equilíbrio mediante a justiça, misericórdia e verdade. 4


Disse Jesus aos seus discípulos:

“Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor.” (Jo 15.10) …

Esclarecendo-os que o amor é demonstrado mediante um posicionamento em obediência, reverência, fidelidade, confiança e sinceridade á Deus.

Inclusive, no amor, a obediência é voluntária, ainda que difícil de ser praticada, no intuito de manter a comunhão com Deus, reconhecendo sua santidade. E, não para alcançar objetivos egoístas ou pelo temor de sofrer alguma consequência negativa. 5

O amor de Deus deve influenciar os cristãos a amarem-se mutuamente sem hesitação. E, suas vidas devem ser caracterizadas pelo amor ás pessoas, pois o Espírito de Deus, que é amor, habita em seu interior. 6

“Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos.
Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados. (1 Jo 5.2-3)

Jesus se fez homem para reconciliar a humanidade com Deus. A vida de Cristo foi marcada pelo amor, pois viveu em prol de seguir todos os propósitos divinos em perfeita obediência com abnegação, santidade, íntima comunhão e sinceridade com Deus Pai. 7

Desta forma, amamos verdadeiramente quando refletimos o caráter de Cristo, agindo segundo seus ensinamentos em todas áreas de nossa vida. Pois, o Senhor Jesus, a imagem do Deus invisível, é a perfeita expressão do amor! 8


“Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele.” (1 João 4:16)


A paz do Senhor!


 

Referências:

  1. Jo 15.12; Rm 5.5; 1 Co 13.8; Gl 5.22; Ef 1.13; Cl 3.13
  2. 1 Co 13.1-3
  3. Fp 4.13
  4. Is 37.35; 1 Pe 1.22
  5. 1 Jo 4.18
  6. 1 Jo 4.8; 4.11-12
  7. Jo 14.6; 1 Jo 4.9-10
  8. Cl 1.15; 1 Jo 4.8

 

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *