Em Busca de Jesus

 

“E, tendo nascido Jesus em Belém da Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém,
Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo.” (Mt 2.1-2)

A notícia de que o Rei dos Judeus nascera havia chegado para os homens mencionados através daquela estrela. Semelhantemente, acontece quando eu e você recebe a notícia de que Jesus quer ser o único Senhor e Salvador da nossa vida. Então, eles buscaram conhecer Jesus, e O receberam como Senhor, assim como nós.

Aqueles homens então deixaram suas casas e seu país movidos pela fé e um propósito no coração de não retroceder enquanto não conhecessem Jesus na intimidade. Eles receberam a notícia de que Ele havia nascido, mas não se contentando apenas em saber disto, buscaram conhecê-lO mais de perto. Para isto, uma longa viagem os aguardavam, cruzando fronteiras e territórios, desertos, noite e dia em busca do propósito. A viagem não foi de um ou dois dias. Porém, os dias bons e os dias ruins desta viagem não interferiram no propósito que eles tinham em seu coração de buscar a comunhão com Jesus.

Não são os “altos e baixos” da nossa vida que tem que determinar o nosso grau de comunhão com Deus. Mas sim, nós que decidimos o quanto estamos dispostos a padecer para buscar a comunhão diária com o Senhor Jesus,  conhecendo-O mais de perto. É propósito!

A estrela foi vista por eles no oriente, como consta no versículo 2, mas não os levaram até Jerusalém.  A fé e o propósito de conhecer a Jesus os levaram até o lugar onde provavelmente encontrariam o rei da Judéia, visto que Jerusalém era a capital na qual se encontrava o palácio do rei Herodes.

A falta da estrela durante a viagem, não os fizeram retroceder. Assim como durante a nossa caminhada, faltar  ânimo, faltar a motivação, devemos permanecer firme no nosso propósito em experimentar a comunhão com o nosso Senhor Jesus, em experimentar mais da sua presença, em experimentar mais da sua intimidade, sem nos esquecermos da palavra que diz “chegai-vos a Deus e ele se chegará a vós.” (Tiago4:8).

“E tendo eles ouvindo o rei, partiram; e eis que a estrela que tinham visto no Oriente ia adiante deles, até que, chegando, se deteve sobre o lugar onde estava o menino. E, vendo eles a estrela, alegraram-se muito com grande júbilo.” (Mt2:9-10) 

Ao chegarem a Jerusalém perguntando pelo Rei dos Judeus, são informados que O mesmo nasceria em Belém, segundo a profecia revelada no livro do profeta Miquéias capítulo 5 versículo 2. Ao receberem a notícia, um breve desespero pode ter alcançado os corações daqueles homens, pois essa era uma informação importante, porém vaga. Visto que, saber apenas o nome do lugar não era o suficiente pois Belém era uma cidade composta por diversas ruas, diversas casas, diversas esquinas, diversas famílias.

Como então encontrar o lugar exato da casa dessa criança que nascera?

Porém, quando Deus vê em nossos corações o propósito sincero e verdadeiro de buscar a sua face, padecendo o que for preciso para isso, Ele envia o Espírito Santo para sermos conduzidos à Sua presença e comunhão. E, foi exatamente isso que o Senhor Deus preparou para aqueles homens. Pois, mesmo com a notícia fosse vaga, o versículo 9 diz que tendo eles ouvido o rei, partiram; porque quando temos fé e propósito não precisamos ver muita coisa e nem ouvir exatamente as respostas que queremos.

O pouco é o suficiente pra nos mover ao Seu encontro, e o nosso Deus como não rejeita um coração determinado em conhecê-lO. Portanto, Deus envia novamente a estrela para aqueles homens guiando-os até o local exato de onde encontrariam Jesus.

O coração daqueles homens se alegram novamente em ver aquele sinal, como declara o versículo 10, pois O Senhor os levam até à presença íntima de Seu filho Jesus.

O quanto estamos dispostos a caminhar, orar, jejuar, enfrentar para buscarmos mais da intimidade com o nosso Deus, com aquele que nos amou primeiro?

Com quanto nos contentamos em partilhar da comunhão com o nosso Senhor Jesus?

São os altos e baixos da nossa vida que dizem o quanto buscamos de Deus ou somos nós quem determinamos o quanto queremos dele?

A comunhão com Deus não vem ao nosso encontro, somos nós quem a buscamos dia após dia.

Oséias 6:3 – Conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor!

Deus te abençoe!

 

 

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *