As Crianças de Jesus

“Naquela mesma hora chegaram os discípulos ao pé de Jesus, dizendo: Quem é o maior no reino dos céus?

E Jesus, chamando um menino, o pôs no meio deles,

E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus.

Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus.” ( Mt 18.1-4)

A relação perfeita entre uma criança com seus pais tipifica a relação que deve existir entre nós e Deus. Pois a criança é pura, sincera, dependente e submissa aos pais, confia, portanto se entrega sem restrições, possui os pais como principal referência de amor, ensino, zelo…

Os discípulos, sem ao menos ter alcançado a condição essencial de serem participantes do reino dos céus (a humildade), disputaram entre si para avaliarem qual seria o maior nele (Mc 9.34). Para exortá-los, quanto á esta atitude vaidosa e presunçosa de auto julgarem “grandes”, Jesus pegou uma criança para ensinar o que é necessário para ser grande: a humildade.

Implicitamente, disse que “títulos religiosos”, “experiências” com Jesus e o conhecimento da Palavra de Deus, por si só, não garantem vivenciar a manifestação do poder Divino (Mt 12.28), incluindo a salvação da alma.

 

Continuando o capítulo …


E qualquer que receber em meu nome um menino, tal como este, a mim me recebe.
Mas, qualquer que escandalizar um destes pequeninos, que crêem em mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma mó de azenha, e se submergisse na profundeza do mar
.” ( Mt 18.5-6)

Escandalizar é magoar, desagradar, acusar, ferir, censurar, assediar ou apunhalar. Portanto, se em nome de Jesus auxiliarmos uma pessoa humilde, estaremos recebendo á Jesus. E consequentemente, recebendo á Deus (Mt 10.40; Mc 9.37). Porém, se qualquer pessoa escandalizá-la,  receberá em troca muita tribulação.

Jesus possui tanto zelo por tais “crianças”, que diz que caso alguém possua alguma parte de si corrompida que venha a escandalizá-las, deve abandonar á isto , se convertendo da atitude errada que cometera, mesmo que isso cause muito sofrimento para si. Caso contrário, perderá a salvação da própria alma. (Mt 18.7-9)

 Continuando …

“Vede, não desprezeis algum destes pequeninos, porque eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre vêem a face de meu Pai que está nos céus.” ( Mt 18.10)

Os anjos são espíritos ministradores, enviados por Deus, para ajudar as pessoas que herdarão a  salvação (Hb 1.14). Ministro é aquele que serve, intermedia, auxilia, ensina, ampara, coopera…

Jesus demonstra Seu carinho especial e o zelo por pessoas humildes, chamando-os de “pequeninos” (v 10), além de alertar o motivo pelo qual não devem ser desprezados (diminuído, insultado): seus anjos  intercederão a favor deles perante Deus.

 

      Em certa ocasião, após Cristo pregar para uma multidão (Mc 10.1), “… traziam-lhe meninos para que lhes tocasse, mas os discípulos repreendiam aos que lhos traziam.
Jesus, porém, vendo isto, indignou-se, e disse-lhes: Deixai vir os meninos a mim, e não os impeçais; porque dos tais é o reino de Deus.

Em verdade vos digo que qualquer que não receber o reino de Deus como menino, de maneira nenhuma entrará nele.

E, tomando-os nos seus braços, e impondo-lhes as mãos, os abençoou.” (Mc 10.13-16)

 

       Jesus se indigna com pessoas que impõe barreiras para que “Seus pequeninos”  O alcancem; e mais uma vez diz a condição de pertencer ao reino de Deus: se tornar como criança. Quem O buscar como tal, ou seja , em sinceridade, em submissão e confiança, pureza e de forma completa, Jesus a abençoará e a receberá amorosamente.

 

Jesus ama a todos!

Porém, estar nos braços de Jesus foi só para quem se converteu como criança !

 

A paz do Senhor, crianças!

 

 

 

FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

2 comentários sobre “As Crianças de Jesus”

  1. Na verdade, aquele que tiver maus pensamentos, for invejoso, caluniador, difamador, trambiqueiro, idolatra, viciado em drogas e outras coisas que na verdade só faz com que a pessoa, vá de mal a pior, não poderá ver a glória de Deus. Mas, aquele que se fizer como menino, isto é, não é ser menino no cumprimento do dever ou no comportamento. Pois, o texto está falando de pureza, caráter, personalidade e acima de tudo santo (separado das coisas más), esse sim verá ao Senhor muito em breve. Na verdade menino não tem malícia. O senhor Jesus quis nos ensinar a simplesmente ser um verdadeiro adorador e um crente fiel para com ele.

    1. Certamente, irmão Jordão!
      Obrigada pelo comentário!

      Jesus não estava admoestando á inimigos, mas á seus próprios discípulos a se converterem como meninos, caso contrário, não seriam salvos. Ou seja, aceitar e confessar Cristo como único e suficiente salvador são atitudes necessárias, mas não suficientes para que se alcance a salvação. Portanto, para que os mesmos a alcançassem, Jesus os admoestaram á buscar a transformação do próprio caráter, que após a verdadeira conversão ao Senhor Jesus, de glória em glória, refletirão o caráter de Cristo através da ação do Espírito Santo. ( 2Co 3.16-18)
      O “ser como menino” é possuir o caráter de Cristo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *