Ao Senhor, o Louvor!

“Eu te exaltarei, ó Deus, rei meu, e bendirei o teu nome pelos séculos dos séculos e para sempre.” (145.1)

Na expectativa de louvor contínuo ao Senhor, o salmista complementa:

“Cada dia te bendirei, e louvarei o teu nome pelos séculos dos séculos e para sempre.” (Sl 145.3)

Segundo as Sagradas Escrituras, o louvor se associa com a idéia de gratidão e glorificação ao Senhor pelos seus feitos. 1

Louvamos á Deus quando bem dizemos a sua criação e as bênçãos, curas, livramentos, perdão, graça e misericórdia exercidos sobre nossa vida e na de outras pessoas. 2

A maior dádiva que podemos receber é a salvação da nossa alma, que é eterna. Esta dádiva é unicamente alcançada ao se confessar e receber Cristo como Senhor e Salvador. 3

Á partir do momento que a Palavra e o poder divinos são manifestos á alguém, é apresentado-lhe o reino de Deus, o qual é vivido quando esta pessoa se submete viver segundo os ensinamentos do Senhor. 4

“O teu reino é um reino eterno; o teu domínio dura em todas as gerações.” (Sl 145.13)

O louvor “alcança” Deus quando quem o realiza busca sua presença, a qual é unicamente proporcionada com o intermédio de Jesus. Sendo Jesus criador de tudo e todos, nosso louvor deve estar incondicionalmente centralizado em sua pessoa. 5

“Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem.
O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo.” (1 Tm 2.5-6)

A expressão do louvor se torna uma espontânea atitude de gratidão e adoração quando há o reconhecimento dos méritos da obra salvífica de Cristo na cruz do calvário, a qual reconciliou a humanidade com Deus.  6


As obras de Deus possuem indícios de sua grandeza que testificam seu poder e divindade. 7

Todas as tuas obras te louvarão, ó Senhor, e os teus santos te bendirão.
Falarão da glória do teu reino, e relatarão o teu poder,
Para fazer saber aos filhos dos homens as tuas proezas e a glória da magnificência do teu reino.”
(Sl 145.10-12)


A adoração a Deus se vincula á reverência pelo seu caráter (santo, justo, bondoso…), não se limitando ao tempo, local, situações, nem tampouco a ações que o Senhor possa realizar. 8

Como parte da criação divina, fomos criados para glorificar ao Senhor, divulgar sua Palavra e obras a todos cotidianamente, testificando mediante atitudes, a fé professada.  9

Louvores e adorações aceitos pelo Senhor devem ser baseados na Palavra. Logo, os servos devem fazê-lo em toda a sua essência e em Cristo. 10


“Em Deus louvarei a sua palavra; no Senhor louvarei a sua palavra.” (Sl 36.10)


A paz do Senhor!

Referências:

  1. Sl 145:4; 147:12-13; Is. 25:1-4; Lc. 19:37
  2. Sl 66.8-9; Fp 1.11
  3. Lc 10.20; Rm 10.9
  4. Mt 4.17; 7.21; 11.12; 2 Pe 1.10-11
  5.  Sl 36.10; 48.1; 106.2-3; Jo 14.6; Rm 11.36; Ap 4.11
  6. Cl 1.11-23; Hb 13.15
  7. Sl 111.2-3
  8. Sl 92.1-3; 99.9; Jo 4.23-24; Ap. 4.8-11; 7.11-12; 11.16-17
  9. Sl 100.3; Mt 15.7-9; 23.27; Ef 1.6
  10. 1 Sm 16.7; Mt 21.16
FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *