Amor ao Próximo

“E Naamã, capitão do exército do rei da Síria, era um grande homem diante do seu SENHOR, e de muito respeito; porque por ele o SENHOR dera livramento aos sírios; e era este homem herói valoroso, porém leproso.
E saíram tropas da Síria, da terra de Israel, e levaram presa uma menina que ficou ao serviço da mulher de Naamã.” (2Re 5.1-2)

Esta menina, por ter sua liberdade violada pelos seus captores, possuía motivos para os odiarem. Entretanto, de modo altruísta, aconselhou:

 “… Antes o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria da sua lepra.
Então foi Naamã e notificou ao seu senhor, dizendo: Assim e assim falou a menina que é da terra de Israel.
(2Re 5.3-4)

Mesmo sendo um homem de grande prestígio, devido á sua inquestionável competência profissional e posição social, Naamã deu crédito ao conselho de uma menina que, por se tratar de uma pessoa do sexo feminino e escrava,  não possuía qualquer valor perante a sociedade.


Demonstrando certa urgência, o rei da Síria respondeu:

“Vai, anda, e enviarei uma carta ao rei de Israel.” (2Rs 5.5)

Lida a carta, o rei de Israel rasgou as próprias vestes e disse:

“Sou eu Deus, para matar e para vivificar, para que este envie a mim um homem, para que eu o cure da sua lepra? Pelo que deveras notai, peço-vos, e vede que busca ocasião contra mim.” (2Rs 5.7)


O “rasgar as vestes” foi um ato simbólico para expressar ao menos: ²

  • Temor á Deus, por atribuir unicamente á Ele a prerrogativa de dar e tirar a vida;
  • Ausência de comunhão espiritual com o Senhor, justificando a falta de compaixão e angústia. Portanto, agiu de forma exagerada e deduziu precipitada e maliciosamente o assunto tratado.

“Sucedeu, porém, que, ouvindo Eliseu, homem de Deus, que o rei de Israel rasgara as suas vestes, mandou dizer ao rei: Por que rasgaste as tuas vestes? Deixa-o vir a mim, e saberá que há profeta em Israel.” (2Rs 5.8)


Logo, Naamã foi á casa de Eliseu e foi recebido por mensageiros deste que lhe disse:

Vai, e lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será curada e ficarás purificado.” (2Rs 5.10)

Naamã se indignou com a resposta de Eliseu, pois esperava que seria curado com alguma técnica espetaculosa. No entanto, o poder de Deus sobre nossas vidas está associado á fé simples e ao ato de obediência á sua palavra. Então, á medida que foi obediente de forma repetitiva, Naamã recebeu o dom da graça de Deus sendo curado. E, com conseguinte, se converteu ao Senhor. ³


Na condição de serva da mulher de Naamã, a menina conhecia a fragilidade dele. Isto é um alerta quanto á vulnerabilidade á que podemos nos sujeitar ao permitirmos que pessoas participem da nossa”intimidade”. No entanto, ela era temente ao Senhor e consciente da presença salvífica dEste com Seu povo através do profeta Eliseu. Portanto, agiu em prol de Naamã.

Deus é soberano ao escolher á quem, a forma e pelo intermédio de quem revelará sua verdade. E, quando as dificuldades destroem nossa autoconfiança, ao confiarmos no Senhor, obtemos força e paz além da medida em meio ás adversidades da vida. 4


Jesus ensinou que o nosso próximo são pessoas que agem de forma misericordiosa á nosso favor. E, não necessariamente pessoas que partilham da mesma cultura, religião ou sanguinidade. E ainda disse: 5

“… Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus…” (Mt 5.44)


O amor está intimamente vinculado á ações misericordiosas e obediências aos ensinamentos de Cristo, e não apenas á palavras professas. 6

“Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.” (Rm 5.8)

Apóstolo João mencionou:

“Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?

E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão.” ( 1Jo 4.20-21)


A menina desta história representa o evangelho de Deus, que aponta para o Senhor. Pois, assim como aconteceu com ela, ao entrar na casa das pessoas e ser ouvido pelas mesmas, inevitavelmente ocorreu transformação deste lar.

“De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.” (Rm 10.17)

O rio Jordão representa Jesus e Eliseu, á Deus. Logo, Eliseu não aceitou pagamento pelo milagre realizado em Naamã, nem o recebeu na sua primeira busca. O profeta apenas o recebeu depois que este voltou do rio Jordão para o agradecer pela cura. Pois, Deus não recebe ninguém que não tenha “passado” por Jesus. 7

Os servos de Naamã que o convenceram a seguir o direcionamento de Eliseu representam o Espírito Santo. Pois, Ele exorta, ensina, intercede, direcionando ás pessoas á Deus. 8


Uma mensagem transmitida através da menina desta história é :

É possível manter o temor ao Senhor, exercendo o amor ao próximo (ainda que seja seu inimigo) durante momentos de extrema dificuldade, mesmo quando obrigados a conviver em locais indesejados e com pessoas que não partilham á mesma fé que nós. Portanto, este temor direcionou esta menina á levar uma palavra de vida para Naamã.

“ E muitos leprosos havia em Israel no tempo do profeta Eliseu, e nenhum deles foi purificado, senão Naamã, o siro.” ( Lc 4.27)


 

A paz do Senhor !

 

Referência:

  1. 2 Rs 5.1
  2. Gn 37.29; Dt 32.39; 1 Sm 2.6; Jr 36.23-24; Mc 14.63; At 14.14-18
  3. 2Rs 5.10-14
  4. Ex 4.10-12; Jr 1.6-7; Mt 11.25, 2 Co 12.9; Fp 4.4-8
  5. Lc 10.29-37
  6. Mt 7.21-27; 15.8; Mc 7.6
  7. At 8.20; Jo 14.6
  8. Lc 12.12; Jo 14.26; At 20.23; Rm 8.26; 1Co 2.13
FacebookTwitterGoogle+Compartilhar

Publicado por

Gisele

" É necessário que Ele cresça e que eu diminua." (Jo 3.30)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *